#19 A criatividade foi a banhos

#19 A criatividade foi a banhos

Comunicar e definir estratégias de marketing e comunicação não é inventar histórias perfeitas. É, sim, saber contar a verdade de cada história, de cada empresa ou produto. Mergulhar naquilo que se é e trabalhar naquilo que se pretende ser.

Estas férias não li nada. Não o digo com orgulho, digo-o com espanto. Na hora de fazer a mala para ir de férias dei comigo, não com 4 ou 5 livros na mochila – mais umas quantas revistas técnicas ou links interessantes cuidadosamente guardados no bloco de notas do telemóvel, para quando houvesse tempo. Levei apenas um livro e um bloco de notas em branco, numa mala de viagem que também nunca esteve tão vazia de roupas e acessórios de Verão. Sem dar conta, este ano reduzi-me ao essencial. Na verdade olhando agora para esse tempo, que já acabou, chego à conclusão que talvez precisasse mais de trazer coisas comigo do que de levar. Trazer mar, brisa e maresia, trazer calor na pele. Trazer calma e vento. Trazer tempo.

Temos reaprendido a viver, a relacionarmo-nos e, quase sem darmos conta, a nossa vida não está a mudar, mudou. As dinâmicas empresariais alteram-se, numas profissões mais do que noutras, e, por consequência, as nossas rotinas familiares também. O teletrabalho instalou-se e o normal é estarmos sempre online, sempre disponíveis, consciente ou inconscientemente. Estamos mais afastados fisicamente mas cada vez mais ligados digitalmente e são inúmeros os artigos de opinião ou científicos que nos falam deste “novo normal” e da importância de desligar. De parar. Não é novo é, simplesmente, a nossa realidade.

Fui a banhos. Comi, dormir, partilhei momentos e experiências comigo e com os meus. Não são momentos perfeitos, nada na vida é, mas até essa imperfeição é necessária porque a criatividade vive dessa verdade de todos os dias, seja em que área for. Comunicar e definir estratégias de marketing e comunicação não é inventar histórias perfeitas. É, sim, saber contar a verdade de cada história, de cada empresa ou produto. Mergulhar naquilo que se é e trabalhar naquilo que se pretende ser. Mergulhei. Estas férias não li uma única página do único livro que levei,  não escrevi uma linha no meu bloco de notas. Entre a gestão de uma ou outra rede social de alguns clientes 🙂 desfrutei da importância de não fazer nada (dolce far niente). Estas férias a criatividade foi a banhos e está agora pronta para escrever novas linhas.

Gisela Pires
Partner da agência Evaristo
gisela@agenciaevaristo.pt 

Artigo publicado na revista Frutas Legumes e Flores

Comments are closed.

Top